quinta-feira, 13 de novembro de 2008

A MULHER DE NEGRO


Lurdes é uma mulher só.
Caminha todos os dias pela berma do tempo, alheia às coisas que a rodeiam.
Olha-se ao espelho, roda a cabeça
(Tenho poder)
Do seus bolsos saltam-lhe pedaços de autoridade
(Sou teimosa)
Que junta por decreto pessoal no exercício dos seus actos
(Temem-me)
Lurdes veste de negro
(Ivone Silva dizia - "Com um vestido preto eu nunca me comprometo!")
Olha-se de novo ao espelho
(Tenho poder)
Da sua mala saltam-lhe bocados de incompreensão
(Estou certa. Absolutamente certa!)
Que junta em notas para a comunicação!
(Caminho direita e firme!)
Lurdes, de negro, firme e resoluta
(Eu sei!)
Não sabe, não ouve, não vê!
(Eu posso!)
Lurdes veste de negro!
(Não posso?!...)
NÃO!

2 comentários:

Templária disse...

Inspiradíssimo...

cristina disse...

Está muito giro. Acho que deves continuar a escrever o que te vai na alma pois escreves muito bem e acima de tudo acertado.