quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

VOLTAS PELO MUNDO - IV - Fim de semana saudável!

No passado fim de semana, foi-me dada a oportunidade de participar (foi mais assistir...) a um congresso sobre alimentação e nutrição racional, patrocinado por uma conhecida multi-nacional do sector.
Logo à entrada, fiquei com uma sensação firme de que nunca tinha estado num local com tanta gente saudável. Percebi que ali não apanharia nenhuma doença, mesmo que por lapso me sentasse num colo errado.
Ao longo do tempo que lá estive, fui construindo a ideia de que aquilo funciona como uma espécie de seita, um encontro ou uma assembleia das ditas. Desconfiado, ainda assim fiquei na expectativa de que algum milagre tivesse sido encomendado e que um pastor mais ou menos possuído transformasse uma senhora obesa num clone da Cláudia Vieira.
Ou então, parecia uma assembleia de Testemunhas de Jeová. Durante algum tempo, estive à espera que Jeová entrasse triunfal, montado numa nuvem e com um pequeno molhe de faíscas numa mão para castigar os descrentes... Temi pela minha integridade, por isso.
A minha desconfiança torna-se mais densa quando reparo no símbolo da multi-nacional. Muito parecido com a planta de Canabis. Três folhas em vez de cinco. Ora, perante este sinal, desconfiei que a "coisa" parecesse erva falsificada...
Mas vá lá. Eu gosto destas aventuras. Fico com a sensação que tenho uma péssima qualidade de vida e que o meu corpo é uma bomba relógio prestes a explodir.
Pronto, nem tudo é mau. Por exemplo, achei bastante positiva a ideia de que devemos beber muita água.
Findos estes assomos e passado algum tempo, aparece um senhor no palco a dizer-me que deveria comprar um cão e assim ter motivo para caminhar todos os dias... Gosto de pessoas que pensam e se preocupam com os animais.
Um dos pontos altos foram os testemunhos de gente que "perdeu peso". Chamei-lhes (de mim para comigo) "desengordurados". Feitas as contas, nunca tinha visto tonelada e meia de gordura a esgueirar-se pela porta do auditório.
Para não me alongar mais, nunca pensei ser possível ouvir, durante várias horas, pessoas a dizerem o que e como devemos comer. Horas a fio a falar de células, vitaminas, proteínas, boa/má alimentação, etc.
Fique com a sensação de ser de compreensão lenta.
No fim e para me acalmar, fiquei decidido a comprar-lhes um aditivo cerebral.

2 comentários:

More Than Words disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
More Than Words disse...
Este comentário foi removido pelo autor.