quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

NA ESCOLA, SOBRE A ESCOLA E TANTO DELA

Hoje, numa reunião de pais para entrega de avaliação dos respectivos educandos, 40% foi o nível de abstinência.
A hora não serve de desculpa. Fim de tarde, início de noite, com o horário de trabalho já cumprido,
Sintomaticamente, ou não, os pais ausentes foram os dos alunos mais problemáticos e com piores notas.
A dúvida instalou-se no meu espírito...
- Os pais não se interessam porque sabem que os seus educandos são "maus"?
- Os alunos são "maus" porque os pais não se interessam meio átomo pela sua vida escolar?
E no Ministério da Educação? Será que as criaturas, entretidas em impingir modelos errados sobre adjacências ao processo de ensino-aprendizagem, percebem isto, sabem isto, agem sobre isto?
Penso que, face à realidade, lhes será apenas interessante produzirem/decretarem sucesso com base em "artefactos pirotécnicos", quase rigorosamente ao arrepio do que se passa no terreno.
A realidade é demasiado cruel para as suas cabeças e os seus propósitos de "sucesso governativo", num processo completamente artificial que almeja a manipulação do tempo histórico cuja velocidade, já se sabe, raramente corresponde ao que se espera/deseja.
Ainda assim, esta realidade não absolve o desinteresse crónico destes 40% de pais que são, por vezes, os primeiros a vir à escola "pedir explicações" quanto ao insucesso dos seus filhos, algumas vezes fazendo uso de argumentação física perante os professores que sacrificam, quer se goste ou deteste, a sua vida pessoal em prol da escola e dos seus alunos, aguardando nadas, na esperança de que esses pais, todos ou alguns, tenham um rasgo de bom senso e se desloquem à escola para perceberem muito, às vezes quase tudo, do que os seus filhos são ou não são!
Quando tal acontece, o primeiro impacto costuma ser forte na sua frieza.

5 comentários:

Caroteno disse...

Meu Caro...

A realidade já é esta à muitos anos...os que mais precisamos ver na escola para podermos discutir soluções para os educandos são os primeiros Encarregados de Educação a não comparecer na Escola!

Depois mais gritante é quando falamos sobre assuntos sérios ouvir coisas como "mas Sr. Director de Turma ele em casa faz exactamente o mesmo" ou quando se diz que o aluno se comportou mal e foi colocado fora da sala...vemos um sorriso no rosto...

Estes dois aspectos revoltam e fazem desejar novos ares...novas escolas...acredito que algures por aí há pais interessados mesmo por muitas dificuldades que os seus filhos possam ter.

Um abraço e obrigado pelo apoio!

Anónimo disse...

Caro colega ..... tenho uma proposta..... agora com os Migalhães e as representações migalhas de Enc. de Educ. nas reuniões.... porque não usar esses volumes azuis num sistema de reuniões e-learning? Não ouvir as babuseiras e injustiças que ÁS VEZES se ouvem já dava para poupar nos ch´s e anti-depressivos.....
Com o tempo a passar já nem as mini saias resultam nas reuniões de pais...só agradeço os pais não andarem armados na escola.... uns açoites e umas murraças o pessoal ainda aguenta!!!! Mas os chumbos!!!!! Os chumbos nem o governo!!!!! Ou as leis seriam outras..... (as da assiduidade e avaliação do estatuto do aluno...claro!!!) Paula F. ;)

Anónimo disse...

É por demais evidente que o insucesso e abandono escolar, têm a família como causas próximas. Só um governo de incompetentes, como estes que há mais de três anos se mantêm ao leme, não sabe ou faz que não sabe. Quando um dos objectivos da avaliação visava classificar o professor em função da diminuição do abandono escolar, este é o exemplo mais flagrante da incompetência deste governo. Os professores conseguiram, a tempo, vislumbrar a armadilha que, entre outras, esta escória que nos (des)governa, tinha subtilmente preparado.

acostac disse...

Antes de postar este comentário, li atentamente a tua reflexão e os respectivos comentários, ri-me a bom rir, reflecti, verifiquei a gravidade da situação, e só não chorei porque "os homens não choram!" como me dizia o meu pai quando eu era pequeno.
Também ajudou uma visita à Cidade dos Anjos onde o tema era sorrir, tarefa conseguida, aconselha-se.
De regresso a estas bandas, e após nova leitura selectiva, destaquei, neste fogo-de-artifício que são as tuas palavras, a expressão "artefactos pirotécnicos" que no seu contexto está a matar.
Continua a esgrimir palavras após palavras, pois o vento desfavorável que sopra dos lados da avenida 5 de Outubro a essas não leva.

More Than Words disse...
Este comentário foi removido pelo autor.